Dia do comerciário: dia de lazer e confraternização

No dia 21 de outubro, os comerciários de Fortaleza celebraram o dia reservado a homenagens para toda a categoria. A festa aconteceu no clube CRESSE na Av. Borges de Melo, 1881, Bairro Parreão.A celebração foi promovida pelo Sindicato dos Comerciários de Fortaleza (SEC – Fortaleza) com a participação do SEC- Caucaia.

Oito ônibus foram disponibilizados para realizar o trajeto dos trabalhadores até o evento. Atrações musicais se revezaram no palco do clube, entre elas o artista Chico Pessoa. Ao todo, mais de 3 mil refeições (feijoada) foram distribuídas ente os presentes e 60 seguranças garantiam a tranquilidade da festa.

Todos os sócios puderam usufruir de toda a estrutura do clube, como os campos e as piscinas. As crianças contaram com espaço próprio e receberam kits com bombons, pipocas e chocolates, além de picolés. Quatro mil em brindes como mp3, ventilador, TV LCD, bicicleta, mini system, liquidificador, tablet, foram sorteados entre os sócios.

O comércio de Fortaleza esteve fechado em virtude do acordo firmado entre o sindicato, Fecomércio e Sindilojas.

Saiba por que 30 de outubro é o Dia do Comerciário

 Dia 30 de outubro é a data consagrada ao Comerciário, entretanto muitos trabalhadores desconhecem a origem deste dia que comemora as conquistas do passado e do presente e a manutenção dos direitos conquistados.

Em 1908, trabalhadores criaram a União dos Empregados no Comércio Rio de Janeiro, onde os caixeiros (como eram chamados os empregados no comércio), os escriturários, os guarda-livros e outros uniram-se contra os abusos e contra a escravidão a que eram submetidos pelos comerciantes.

A história diz que em 1932, no dia 29 de outubro, às 10 horas da manhã, um punhado de caixeiros das ruas Carioca, Gonçalves Dias, Largo de São Francisco, Rua do Ouvidor e adjacências aglomerou-se no Largo da Carioca. O volume de gente foi aumentando até chegar o pessoal do Lloyd Brasileiro, da Costeira (que eram sócios da União dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro), os Ferroviários da Central do Brasil, trabalhadores da Ligth, os Bancários, os Professores e os Jornalistas, que foram juntando-se e marcharam para o Catete (palácio do Governo Federal).

Ao chegar ao Catete o grupo de Caixeiros tinha-se multiplicado em 5.000 pessoas ou mais. Getúlio Vargas então presidente da Nação os recebeu na sacada do Palácio e, naquele memorável dia foi assinado o Decreto Lei nº 4.042, de 29 de outubro de 1932, que regulamentando a jornada de trabalho, reduziu a carga horária escrava de 12 horas diárias, para 8 horas.

 

Os frutos dessa luta dos Comerciários foram estendidos a todos os trabalhadores brasileiros que passaram também a ter suas jornadas de trabalho regulamentadas nos mesmo moldes.

O decreto-lei 4.042/32 foi publicado no Diário Oficial da União em 30/10/1932.